Elevação da consciência global!

Em momentos de crise generalizada, não há muito o que fazer.
Para todos os lados que olhamos, podemos ver desolação, pânico, desespero.
Cabe a nós usarmos nosso maior dom, aquele que nos caracteriza seres em evolução.
Esse dom é o nosso poder de escolha!
Os estudos científicos mostram que o nosso cérebro apresenta três partes , o chamado cérebro trino, denominados: Reptiliano, Mamífero, Neocortex.
O cérebro reptiliano, situado na base do cérebro, é responsável por nossas reações instintivas.
O cérebro mamífero, camada intermediária, está ligado reações emocionais.
O neocortex, camada mais externa, está ligado às ações racionais, ou seja, às nossas escolhas.
O momento nos pede que façamos escolhas conscientes, elevadas, não apenas reativas, instintivas ou emocionais.
Reagir negativamente ou positivamente em qualquer situação deve tornar-se uma ação de escolha. Uma ação racional.
Podemos entrar no ciclo de pânico ou calma, se assim escolhermos.
Sofrer por algo que não conseguimos controlar nos paralisa, nos faz entrar em sintonia com baixas vibrações, as tais vibrações sombrias.
Escolher pacificação interior, elevar sentimentos e pensamentos para que tudo se resolva da melhor forma é possível.
Um exemplo disso é a história de uma jovem judia chamada Edie Eger, que sobreviveu ao holocausto por ter feito algumas escolhas.
Separada dos pais em um campo de concentração nazista, dizia a si mesma que o espírito não morre, ao saber que eles estavam sendo incinerados.
Uma noite um certo comandante, que depois soube ser Mengele, queria se entreter. Ela conta que sendo ginasta talentosa foi indicada para dançar para ele. Fechou os olhos, imaginando uma música de Tchaikovsky, dançou Romeu e Julieta, em Budapeste.
Dissociou-se completamente da situação. Entendeu que os nazistas eram mais prisioneiros que ela.
Conta também que duas vezes por semana tiravam seu sangue. Ao perguntar para que era o sangue, responderam que era para ajudar soldados alemães a vencerem a guerra.
Edie dizia a si mesma ser uma pacifista e bailarina, criando uma parte interior responsável e forte. Não deixando que o horror externo da guerra a afetasse internamente e que se sobrevivesse hoje seria, livre amanhã.
Resultado das escolhas dessa mulher fantástica: sobreviveu, foi para os EUA, estudou, tornou-se doutora em psicologia, casou-se, teve filhos e netos. Diz que essa é sua maior vingança à Hitler.
O que você escolhe? Elevação ou sofrimento? Que vibração você quer emitir?
Saiba que você pode e deve usar seu livre arbítrio.
Obstáculos sempre existiram e sempre existirão em nossa jornada, mas o sofrimento torna o percurso mais longo.
Cabe a cada um de nós fazer escolhas, usar o que nos caracteriza como seres humanos, seres racionais que somos.
Não escolher e simplesmente reagir nos caracteriza tal qual animais irracionais.
É momento de acordar!
Quem tem paciência opera na paz, recebe obstáculos como trabalho e provações por ensinamentos.
Se não oferecemos à vida o nosso melhor até agora como humanidade, se bagunçamos todo o ecossistema, toda a vida natural ou exploramos ao máximo os recursos do planeta, chegou o momento de mudanças.
A mudança inicia e termina no interior de nós mesmos!
Vamos começar a mudança vibrando paz, gratidão, respeito às pessoas e à nos mesmos!
Tudo muda lá fora quando mudamos por dentro! Façamos a nossa parte!

Texto escrito por: Angélica Helena Guerretta ( Terapeuta do Instituto Cronos Gaia )